07/11 – De Colônia Del Sacramento UY a Buenos Aires AR

Voltando aos relatos de viagem…finalmente começaram os relatos da Argentina, então… senta que lá vem a história 😉

No dia 07 de Novembro, partimos do Uruguai sob um dia lindo de sol, perfeito para este início de aventura.

 

Devido os altos valores do Buquebus , optamos por entrar na Argentina por rodovia. Há uma ponte entre Fray Bentos UY e Gualeguaychú AR. Acho que foi uma boa decisão, entramos na Argentina do jeito que mais gostamos, de moto, com uma ponte linda, e muitas histórias 😉

As estradas no Uruguai são excelentes, apenas um pequeno trecho próximo a Palmitas não estava com o asfalto tão bom, mas com certeza não tira o brilho das rodovias deste país.

Não havia muitos pontos de paradas na rodovia, então entramos em Fray Bentos  pra ver a cotação do câmbio, e aproveitamos para fazer um lanchinho no lugar do almoço rsrs

Achamos uma padaria/rotisseria na avenida principal que tinha tortas deliciosas, e algumas geladeiras de doces que nos fez gastar praticamente todo o peso uruguaio que havia sobrado, e acreditem, isso não foi uma boa coisa rsrs.

Achei a cotação no Uruguai muito baixa, então não trocamos os reais que havíamos levado, preferimos trocar na própria Argentina.

Os trâmites na Aduana foram tranquilos, o de sempre… habilitação, passaporte, documento da moto, carta verde…

E todos estávamos muito animados e no clima dos “hermanos” \o/

…maaaaaas, lembram a parte que gastamos todo o nosso dinheiro? Pois é, ficamos surpresos com o fato de que é preciso pagar pedágio para entrar na Argentina, pois é, e para o nosso azar não aceitam reais. Felizmente o Gerson ainda tinha um pouco de pesos uruguaios, e foi a nossa salvação rsrs

Juntamos cada centavo de todos, não foi fácil… mas o suficiente rsrs

Depois dessa pagação de mico, finalmente Argentina!!!

 

 

No final da ponte havia uma construção em que achei que nessa parte é que daríamos a entrada na Argentina, mas só depois de algumas discussões é que o percebemos que já havíamos dado a entrada e que deveríamos partir.

 

 

Não sabia o que esperar de Gualeguaychú, e estava preocupada com o combustível, mas felizmente é uma cidade estruturada, onde conseguimos abastecer e fazer câmbio.

Num sábado a tarde, o único lugar que encontramos para trocar os reais foi numa loja que vende e compra ouro, fizemos o câmbio a R$ 3,20, algo que não esperávamos =/ muito baixo

E também nos surpreendemos com o preço da gasolina,  a 15.5 pesos o litro, a R$3,20 no câmbio pagamos o equivalente a R$ 4, 84 litro.

 

A estrada para Buenos Aires foi bastante entediante, começamos a conviver com retas… retas… e mais retas…

E como toda cidade grande, andar em Buenos Aires não é fácil, principalmente sem GPS, trânsito caótico ¬¬’

 

Para o nosso azar e falta de conhecimento, chegamos em Buenos Aires no dia da Parada Gay, rodamos muuuuito para achar hotel, olhem só a cara de animados dos rapazes rsrsrs

Ficamos no hotel Constitución Palace Hotel, que pra falar a verdade não recomendo pra ninguém!!! Pelo menos tinha uma vista legal, só!

O hotel não tem estacionamento, e estávamos tão cansados que ninguém queria levar a moto em outra quadra para guardar. Pagamos caro para um picareta olhar durante a noite… mas amanhã conto o resto, para mostrar o porque do picareta ¬¬’

Bem, este dia foi de chão…chão…e chão… então nada muito surpreendente para escrever, mas as experiências na Argentina foram fantásticas 😉 a continuação dos relatos valerão a pena 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>