Viajar, um ato sagrado – Serra do Rio do Rastro SC

Recentemente eu estava
lendo uma revista sobre motos – não estranhe, essas são muito
mais interessantes 😉 – e uma experiência de viagem me chamou a
atenção, principalmente a introdução do relato:
“Poucas coisas neste
mundo são tão prazerosas quanto viajar sozinho, em grupo, para
perto ou para bem longe. Viajar é necessário, é aprender na
prática! Por isso viaje, pois como diz Amir Klink, expert no
assunto: 
‘Um homem precisa viajar’ ”
Concordo plenamente com
essas palavras, cada quilometro rodado se torna inspirador, fonte de
amizades e experiências enriquecedoras!!! … E como não poderia
deixar de ser, no último final de semana prolongado tive a chance de
fazer mais uma grande viagem, dessa vez para a Serra do Rio do
Rastro, em Santa Catarina, e de moto o/ uma maravilha da natureza
aliada ao capricho de muitas curvas.
Mas senta aí que lá vem a
história … 😉 e muitas fotos, para o pessoal que foi comigo também copiar 😉 hehe
Debaixo de chuva, o
Maguim e eu saímos na madrugada do dia 07 rumo a Floripa encontrar a
galera, por volta das 4:30 hs estávamos saindo do ponto de encontro
no Rodoanel. Infelizmente essa não foi a ideia mais acertada, porque
no fim, acabamos parando num posto de gasolina um pouco mais a frente
afim de esperar a chuva diminuir e o dia clarear. Aí sim começamos
a acertar, parte do caminho que nos aguardava era,
sinceramente, uma desgraça!!! Pegamos uma serra, se não me engano
próximo a Juquitiba, que sinceramente é um lixo, um lixo, um
lixo!!! O estado de São Paulo deveria ter vergonha de ter um caminho
desse como uma das principais vias de acesso a Regis Bittencourt
sentido Paraná. O trânsito estava caótico, cheio de caminhões,
pista molhada, asfalto ridículo, um monte de curvas, trechos sem
acostamento, um inferno!!! Imagine se pegássemos aquilo no escuro, o estrago que poderia causar. Com o dia claro e de moto né … damos um jeitinho
rsrs, mesmo sob xingamentos e fechadas de alguns caminhoneiros rsrs ainda
bem que essa serra não durou tanto, por que senão, pela primeira
vez realmente eu iria querer voltar pra casa, porcaria de trecho ¬¬’
Passado o sufoco,
finalmente pegamos uma pista decente e a viagem pode seguir
tranquila, só tínhamos como desafio realmente enfrentar tanta chuva
e frio, com isso fizemos muitas paradas, mas nada de especial, era
só abastecer, descansar um pouco e logo partir.
Com todos esses
desafios, acabamos chegando em Florianópolis a noite e indo direto
para o hotel, principalmente porque no meu caso ainda teria que dar
um jeito de me hospedar rsrs já que não fui precavida e não fiz
reserva como os outros.
O legal é ver que só
no primeiro dia foram 826 km rodados o/
No hotel deu para
arrumar uma cama extra no mesmo quarto que o pessoal, e foi um prazer
enorme conhecer todos no mesmo dia :-) e que pessoal guerreiro viu, o
Palas, o Juca e o Sapa são do Rio de Janeiro e foram também direto
para Florianópolis, mais de 1200 km rodados, arrasaram 😉
Na sexta-feira as
coisas começaram a melhorar, lá em Floripa estava um dia lindo, e
como precisamos fazer algumas coisas antes de ir pra estrada
novamente, deu pra ver um pouquinho da cidade, e que linda *-*
logo me programo para ir passear por lá, porque dessa vez foi só
passagem mesmo, mas já valeu a pena 😉
Lá pelo meio dia
pegamos a estrada novamente, dessa vez rumo a São Joaquim, e que
incrível que foi, toda a paisagem já fez valer muito a pena todo o
esforço, e olha que ainda nem tínhamos chegado na tal serra hein
rsrs

Deslumbrante *-*

Olha o estado da cidadã
tentando se esconder do frio rsrs estava tão gelado que eu estava
rodando com 3 calças, 2 luvas, 3 blusas, jaqueta, bota e mais a capa
de chuva, situação crítica viu rsrs
Urubici também me
chamou muito a atenção, um caminho maravilhoso, curvas, curvas e
curvas 😀 bom pra aprender porque ainda sou um dura nisso rsrs
Ok ok, eu tirei a foto
numa reta rsrs mas é complicado pilotar e tirar foto né :$
A ansiedade para rodar
era tanta que nem paramos pra almoçar, fomos direto para o Morro da Igreja e a famosa Pedra Furada, sem palavras … só conferindo mesmo!!!

Perfeito !!!

Essa galera é o máximo: Palas, Maguim e Juca prazer enorme rodar com vcs o/

Audazes marcando
presença o/

Eu tentei filmar, mas
realmente eu não parava de tremer :-(

Em momentos assim é
que paramos pra pensar e notamos como é bom poder curtir tudo isso, embora de vez em quando eu achava que tinha deixado meus dedos em
algum lugar a uns 200 km atrás rsrs o frio era tanto que nem frear eu conseguia rsrs
Pouco depois que saímos
de lá, continuamos na serra rumo a São Joaquim, já era noite e
paramos num café chamado Snow Valley pra descansar e comer algo. Pra
quem gosta de café era o local perfeito. No meu caso, mesmo não
gostando parti pro leite com chocolate, alguma coisa quente tinha que
ter naquele lugar .
E que lugar charmoso e
aconchegante, recomendado 😉

Em São Joaquim não
foi possível me hospedar junto com o pessoal no Hotel, e pra ajudar
estava tudo lotado por causa de um evento numa cidade vizinha, mas
não teve problema algum, lá nas informações turísticas me
recomendaram a pensão da Dinara. Na verdade todos os
quartos da casa dela estavam lotados, mas … da pra acreditar que
fiquei no quarto da filha dela? Eu não esquento a cabeça com lugar chique e coisas do tipo, quero mesmo é aproveitar o/ e foi o máximo, amei eles, que
figura viu, e no fim saiu bem em conta em comparação com outros
lugares na cidade.
Assim que consegui
hospedagem, encontrei o pessoal para irmos jantar, não lembro o nome
do lugar, mas era aconchegante tbm, o cruel foi pra sair de lá, tudo
congelando!!!

Gelo nas árvores…


 

…gelo por todo lado …




De manhã, ao conferir
como estava o dia, a visão foi linda 

Um dia perfeito nos esperava o/

E olha a galera da
pensão aí gente o/

Dando uma volta pelo
centro enquanto esperava o pessoal …

Até que a temperatura
estava agradável 😉
Que fofo o boneco de
neve, feito de garrafas de plástico *-* criatividade é tudo o/

 
Finalmente depois de
uma longa espera, principalmente para o gelo da pista derreter,
seguimos rumo a tão esperada Serra do Rio do Rastro o/ e quer saber? É tudo o que eu esperava e um pouco mais, o lugar é simplesmente incrível!!!

Mais curvas nos
esperando o/

Finalmente hora de
descer

O visual vale muito a
pena, é tudo simplesmente encantador *-* descer também é super divertido, mesmo tendo algumas curvas bem fechadas, de moto fica até bem tranquilo, mas ainda tenho muito o que melhorar
pra acompanhar realmente os caras nas curvas e acelerando =/

Acabamos só descendo a serra, lá em baixo almoçamos num restaurante simples e pegamos a
estrada rumo a Curitiba, nossa última passagem de hospedagem.
Chegamos em Curitiba bem tarde, e foi cansativa, o trânsito
estava intenso, e em 6 motos a noite, a visualização é um
pouco complicada, mas mesmo enfrentando chuva, frio e uma densa
neblina, deu tudo certo. 
E entre a sexta feira e sábado, foram mais
924 km rodados o/

Em Curitiba tbm foi
possível ficarmos todos no mesmo hotel, depois de uma pizza, logo
fomos capotar, afinal, um longo retorno nos esperava no domingo. O
Palas e o Juca saíram logo cedo, a viagem deles seria bem mais
comprida, mas a noite fiquei sabendo que deu tudo certo, que boa
notícia 😉 fiquei muito feliz por vocês 😉
No meu caso, o retorno
foi um pouco mais complicado, a relação da minha moto foi pro
espaço, e num domingo de chuva, dificilmente encontraria algo aberto
pra arrumar, com isso a corrente estava totalmente frouxa e batendo
muito, um perigo enorme já que teria que rodar mais de 400 km ainda.
Preciso aprender a mexer com essas coisas viu, tentei esticar mas
estava no limite, não tinha mais o que fazer, se soubesse teria
tirado um elo :-( mas vou aprender para me virar da próxima vez =/ 
Saímos de Curitiba depois do almoço,com a chuva intensa ainda na
saída da cidade, uma carreta estava atravessada na pista, e nenhum
carro conseguia passar, mas como dizem: “pimenta nos olhos dos outros é
refresco né “, então para nós foi ótimo, assim não tivemos que
ficar enfrentando trânsito, a pista era quase que exclusivamente
nossa.
Tirando esse receio com
a corrente … as coisas deram certo, a parte ruim foi novamente
enfrentar a serrinha maldita já mencionada perto de Juquitiba, com a
chuva e a neblina que estava … não foi nada fácil, passamos por 3
carretas tombadas, um risco muito grande. Num determinado ponto,
todos pegaram seu rumo, e no meu caso era continuar para pegar o
Rodoanel, nesse momento já sozinha, e torcendo pra corrente
sobreviver mais uns 100 km.
Como a minha última experiência com o Rodoanel não foi nada agradável, já que fui parar em Mauá e não em Jundiaí rsrs atenção total dessa vez rsrs, mas finalmente as coisas deram certo e por volta das 20:30 hs já estava segura em casa.
Mais 446 km rodados.

Total de  2196 km rodados o/ bom demais hein

Depois de tantas aventuras … quero muito mais, foi realmente tudo incrível, claro que a relação entre pessoas nem sempre é fácil, alguns conflitos surgiram … mas são detalhes que jamais estragariam a sensação, prazer e emoção desses momentos. Foi um prazer enorme rodar com todos, e se o pessoal que viajou comigo estiver lendo o blog, sou muito grata especialmente pela paciência e gentileza em reduzir um pouquinho a velocidade para que eu desse conta de acompanhar, ou de cederem espaço para até dividir o quarto, vlw mesmo a todos 😉

Maaaaassss depois de tanta loucura, quero distância de curva ¬¬’ não aguento mais!!! Pelo menos até o final de semana rsrs já que tenho grandes planos novamente o/ Campos do Jordão com a galera do Highlanders, alguém duvida que será o máximo? 😀

obs: Palas, não esquece de editar o vídeo e apagar as minhas navalhadas hein kkkkkkk

Vlw !!!!! o/

8 comentários sobre “Viajar, um ato sagrado – Serra do Rio do Rastro SC

  1. Anônimo

    Obrigado pela sua companhia tb…como vc. disse, nem sempre tudo agrada a todos….. mas a gente vai levando assim mesmo, e no final tudo da certo.. realmente vc. é guerreira. valeu te-la ao nosso lado. abs.

    ja estou abrindo o proximo projeto. "serras gauchas" Gramado/Canela/Bento Gonçalves e Farroupilha…… em breve. O/

    Maguim B65S

  2. Maurício / Jucabala

    Noellen, foi legal ter sua companhia na viagem.
    Quanto aos pequenos conflitos, nem esquenta que em toda família isso sempre acontece rsrsrs
    Parabéns pela coragem de entrar nesse vício por estradas e se continuar assim daqui a pouco você já vai ter experiência suficiente para ensinar aos novatos.
    E muito obrigado por não tirar nenhuma foto de noite lá do seu 2º andar do Formule 1 kkkkkkkkkkk
    Aproveitei e copiei umas fotos suas pra colocar lá no meu blog http://www.estradaeliberdade.com

    Beijão,

    Jucabala/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>